quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Poema Inacabado


Um poema inacabado
É sempre muito frustrante,
Ter que deixá-lo de lado
Porque a inspiração,
(Companheira constante)
Num gesto de insubordinação,
Preferiu a vida itinerante
E mudou de coração.
O papel ficou jogado
E o possível poema
(não terminado)
foi então abandonado.
Perdeu-se o tema.







Elizabeth F. de Oliveira

2 comentários:

Graça Pires disse...

Na página em branco, o poema tarda.
É como se as palavras ficassem trancadas no labirinto da boca...
Um grande beijo.

Jerusa Rocha disse...

Gosto muito deste pelo gostoso jogo de palavras. E acho interessante, inusitado falar deste momento de impasse para um poeta.
Beijo