segunda-feira, 10 de março de 2008

Escolha


Apesar do medo
escolho a ousadia.
Ao conforto das algemas, prefiro
a dura liberdade.
Vôo com meu par de asas tortas,
sem o tédio da comprovação.


Opto pela loucura, com um grão
de liberdade:
meu ímpeto explode o ponto,
arqueia a linha, traça contornos
para os romper.


Desculpem, mas devo dizer:
eu
quero o delírio.





Lya Luft
Em 'Pra não dizer adeus'

5 comentários:

Graça Pires disse...

Gostei do poema Elizabeth.
Os meus livros não se encontram no Brasil, claro. Mesmo em Portugal eles não andam pelos circuitos comerciais. Todos os poemas que tenho no blogue já estão em livro. Em Abril sairá o meu 10º livro. Se me der a sua morada posso enviar-lhe o último que fiz em edição de autor. O meu mail é: gracampires@hotmail.com

um bom ouvido disse...

Excelente escolha, adoro a Lya! bjinhos

Graça Pires disse...

Um beijo e uma Páscoa cheia de amor, de esperança e de alegria.

Lapa disse...

http://palcopiniao.blogspot.com/search/label/C%C3%82MARA%20MUNICIPAL%20DE%20COIMBRA%20URBANISMO

DIVULGUE ESTE CASO INCRÍVEL DA CÂMARA MUNICIPAL DE COIMBRA, NÃO SE CONFORME.

OBRIGADO, COIMBRA AGRADECE!

Vieira Calado disse...

É sempre preciso um pouco de loucura...
Cumprimentos