quinta-feira, 31 de julho de 2008

Amanhecendo





A vida me amanhece
Pesando os minutos de se permitir.
Não sei se lá fora o sol
Se levanta guardando em si
Um propósito de realização
Ou se as horas que se aguardam
Na senda do existir
São fios de vivência que subsistem
No caos ardente das emoções.








Elizabeth F. de Oliveira
Foto: José Luis Mendes

6 comentários:

Graça Pires disse...

"A vida me amanhece"
Tão belo o começo do poema como a fotografia que o ilustra.
É tudo mais simples quando a vida nos amanhece. É como se tivessemos no olhar o instante que inaugura a madrugada e nos apetecesse viver.
Um beijo, minha amiga.

Marinha de Allegue disse...

Fermoso poema que comeza con vida e remata coa emoción, fermoso!!!.
A elección da imaxe sensacional.

Unha aperta grande.
:)

Re...Nan disse...

Um ótimo poema. Tocante a partir da imagem até o último verso.

O Profeta disse...

Ai quem me dera agitar o tempo
Atirar a mágoa à voragem da noite
Arrancar as raízes ao pensamento
Sentir a paz que uma lagoa acolhe


Boa férias


Mágico beijo

Victor Oliveira Mateus disse...

Acho os dois primeiros versos uma autêntica pérola... Lindíssimos!
Abraço grande.

P.S. Também gostei muito da foto.

Cássia Lopes disse...

Mais uma belíssima criação!
;*