quinta-feira, 18 de março de 2010

PRESSA


Sublinho o horizonte
com as pegadas da minha retina;
contorno-lhe de metáforas,
vislumbrando um nascente
significativo de urgências.
O tempo não desliza languidamente
sobre os meus dias,
mas urge, numa pressa
devoradora de vida.
É preciso retomar
a trilha do amanhã,
que se insinua
em algum lugar do entardecer.







Elizabeth F de Oliveira
Foto Fernando Varela

14 comentários:

Rabe disse...

Mesmo que eu estivesse ao vosso lado, e caminhasse na mesma medida dos teus passos, mesmo que eu visse os mesmos movimentos que os teus olhos viram... Eu poesia igual não faria. A beleza é vossa, no teu armazem de sentimentos, tu guardas o certo momento para exprimir em versos a beleza e o certo comprimento. Eu... alinho-me e distoo e mesmo vendo o que tu vês, diria... Ah meu tormento, a poesia é lugar nenhum, e em mim é anseio sem proveito. Belo é ver com teus olhos irmã poetisa.

Graça Pires disse...

A urgência de ser feliz. O cume das montanhas onde os desejos se cumprem é tão difícil de alcançar como as palavras lentas com que chegamos ao silêncio. E ter pressa mesmo sabendo que a turbulência pode devorar os momentos da esperança... Um belo poema!
Beijos minha amiga de sempre. Saudades.

Karoline Goltzman disse...

"É preciso retomar
a trilha do amanhã,
que se insinua
em algum lugar do entardecer."
.
Tudo é uma questão de acreditar SIM no amanhã!

Beijos Mamy!

Vieira Calado disse...

Muito bem escrito e esbelto

este seu poema!

Saudações poéticas

mundo azul disse...

___________________________________


O tempo voa!

Muito bem retratada a pressa da vida, em seu belo poema...


Beijos de luz e o meu carinho!!!


________________________________

Cássia Lopes disse...

Perfeito, Mami! Belíssimo mesmo! Tens muitos tesouros escondidos que o mundo precisa conhecer. rsrrsr..
Beijos no coracão!

Nilson Barcelli disse...

"É preciso retomar
a trilha do amanhã,"
Querida amiga, o seu poema é magnífico. Gostei imenso, nomeadamente a visão positiva da vida que as suas palavras encerram.
Elizabeth, tenha um óptimo fim de semana.
Muitos beijos.

O Árabe disse...

Bem dito: precisamos escapar à voragem do tempo, para encontrar a trilha que leva a um novo amanhecer. :0 Belo poema, boa semana!

um bom ouvido disse...

A tua forma de encontrar as palavras e as desenhar no poema, lembra-me o quanto é mágico o dizer em versos. Obrigada por nos presentear com tantas belezas.

bandamads@hotmail.com disse...

QUE BACANA!!!!!! PARABÉNS!!!!
Vou deixar aqui nossa contribuição não tão rebuscada e lapidada de palavras!

Pressa

Uma palavra incomoda para os que estão vivos, e necessária pros dormem, é engraçado que todos temos o mesmo tempo, mas como temos tanta pressa em pensar e digerir fatos futuros e presentes e passados tonando o mundo real cada vez mais apressado!

Guto MADS

Anônimo disse...

Eu nem sei se gosto mais de voce ou das suas poesias.
De fato, ambas estão a cada dia melhores !!!!!!!!

Anônimo disse...

Anonimo nada
Falta de intimidade c a net

Vanessa

d'Angelo disse...

Belos passos, Elizabeth, pelos labirintos do tempo. Poucos os que podem sublinhar o horizonte assim: "pegadas da minha retina".

Joop Zand disse...

Hello Elizabeth

Greet picures on you're blog,
I like them very much.

greetings, Joop ( Hollanda )

http://jfotograaf.blogspot.com