sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

MUDANÇAS








Não é possível reter a voz das intempéries
quando ela chega ao vértice da vigência da vida.
Ela sibila bem trajada de metáforas,
adornada de analogias, para disfarçar
os olhos desavisados.
Mas com o som que ecoa implorante de mudanças,
pode-se pressentir o chamamento retumbante da vida.
Mudanças assinalam a próxima tempestade,
reiterando a urgência dos sonhos.




Elizabeth F. de Oliveira
Foto Street Dog

7 comentários:

Graça Pires disse...

A urgência dos sonhos é ó único caminho para a mudança. Imagens e sons são quase sempre um fundo falso onde nos escondemos para representar os rituais do dia a dia...
Gosto do teu poema. Gosto que tenhas recomeçado a escrever aqui.
Gosto de ti.
Um beijo.

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Analogias e metáforas, que vida boa seria se permitíssemos todas essas mudanças.

JC

Nilson Barcelli disse...

A vida é feita de mudanças...
Excelente poema, querida amiga. Gostei imenso, como sempre.
Boa semana. Beijos.

O Árabe disse...

Assim é, amiga: as mudanças nos alertam paraa urgência dos sonhos... e a sua brevidade. :) Boa semana!

A.S. disse...

É urgente o sonho! Só o sonho pode atingir o impossivel...
É urgente renascer todos os dias!
É urgente vestir de novo o entusiasmo de novas utopias!


Beijos...
AL

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Sabe, os sonhos não podem ter urgência, acho que quando tudo é com velocidade, deixamos de saborear tantas pausas que a vida oferece. Você sempre encanta com esse seu jeito carinhoso, Elizabeth. Sempre é muito bom ler alguém que sabe o significado do verdadeiro sentir sem rodeios. Suas palavras tomam um rumo doce e ao mesmo tempo febril. Gosto desse encanto.

Beijo bem grandão.

Rebeca

-

Vieira Calado disse...

É por isso que eu gosto

das tempestades...

Beijocas