terça-feira, 4 de janeiro de 2011

VOO






O brilho dos teus olhos
prescindem palavras;
são eles mesmos a grafia
mais perpétua do sentimento,
sobressaltando inadvertidamente
os meus, num voo invisível
e arrebatador de desejos consentidos.






Elizabeth F de Oliveira
Foto: Fátima Joaquim

9 comentários:

Graça Pires disse...

Os desejos consentidos pelo brilho dos teus olhos hão-de dar-te asas para voares tão alto que desapareçam as sombras da tua vida...
Gostei muito do poema e de te saber de volta.
Um grande beijo e saudades.

um bom ouvido disse...

Ah, como vivo sem passar por aqui mais vezes para um café?

A.S. disse...

O fascinio de um olhar, consente os mais ousados voos!...

Beijos,
AL

Vieira Calado disse...

Desejos de ser pássaro?...

Saudações poéticas

O Árabe disse...

Voos do amor... haveria, acaso, algum mais leve ou mais doce? :) Feliz Ano Novo, amiga; boa semana!

Nilson Barcelli disse...

Os olhos são o espelho da alma...
Belíssimo poema, gostei imenso das tuas palavras.
Querida amiga Elizabeth, boa semana.
Um beijo.

Folhetim Cultural disse...

Olá lhe felicito pelo vosso blog.
Lhe convido a conferir o meu que diariamente trás destaques culturais e hoje terça estreia Bruno Martins em sua coluna de comunicação.
informativofolhetimcultural.blogspot.com
Aguardo a sua visita.
Abraços
Até mais
Magno Oliveira
Folhetim Cultural

Gisela Rosa disse...

Nos olhos está toda a esperança da alma!

Lindo o seu poema!!!

Beijo Elizabeth (obrigada!!)

alice disse...

obrigada pelo seu comentário! foi uma lufada de ar fresco no meu blog! bem-haja! um grande beijinho.