quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Madrugada


Debruçada sobre madrugadas vazias,
Ausentes de pensamentos, rimas e sonhos,
Repouso sobre a esterilidade do nada;
Enlevo único entre sombras,
Restos de luz e matizes de solidão.





Elizabeth F. de Oliveira

6 comentários:

Graça Pires disse...

Obrigada Elisabeth pela tua visita e pelas tuas palavras tão bonitas. Irei ouvir-te na voz de Luis Gaspar. um grande beijo.

hfm disse...

Gostei muito do que aqui encontrei.

Graça Pires disse...

Já ouvi os teu poemas ditos pelo Luis Gaspar. Gostei como esperava. Um beijo.

um bom ouvido disse...

Ah! belíssimo!

Nilson Barcelli disse...

Belo...!!!
Escreves tão bem minha querida.
Um beijo grande.

Dinarte disse...

Olá, Beth, pensar é viver!

Em verdade, os anseios se satisfazem com fatos e afetos, e com as palavras eles se mantêm.

Dinarte, 02 de dezembro de 2008.