sábado, 13 de setembro de 2008

Deserto




Peregrino no deserto da saudade
Em busca de um oásis
Que me flagre os sentidos,
Que me resgate do padecimento
Da espera.
Habito a aridez do sentimento,
À procura de uma miragem
Que me mate a sede dos olhos
E da boca.
Esse deserto ilusório e real
É o meu saara de sal
Encoberto por areias de saudade.
Sou peregrina da emoção,
Beduína da espera do oásis
Dos teus olhos.





Elizabeth F de Oliveira
Foto : Carlos e Maria

10 comentários:

Graça Pires disse...

Bem Elizabeth, que poema lindo!
Talvez dos mais bonitos e conseguidos que tens feito. Adorei.
Um grande beijo.

Vieira Calado disse...

Obrigado.
Bem haja!

Victor Oliveira Mateus disse...

Elizabeth,

subscrevo, em absoluto, as palavras da Graça... Todas elas!
Abraço

Anônimo disse...

Todos têm um "saara de sal
Encoberto por areias de saudade."
=)
Bjim***
Karoline Goltzman

O Profeta disse...

Uma réstia de luz no crepúsculo
Uma súplica presa na brisa
Um caminho sem fim
Pela terra da tua lembrança


Convido-te a ver o diadema da Noiva do Mar

Boa semana


Mágico beijo

Nilson Barcelli disse...

Excelente cara amiga.
Sou peregrina da emoção,
"Beduína da espera do oásis
Dos teus olhos"
E o teu poema foi terminado com uma imagem magnífica.
Beijinhos

reinita neurótica disse...

A imagem do saara de sal, fico com essa.
Beijooo

Cássia Lopes disse...

"À procura de uma miragem
Que me mate a sede dos olhos
E da boca".
Esse verso me leva ao fundo de mim mesma!
Belíssimo!!
=**

Marinha de Allegue disse...

Beduina da espera do oásis...

A eterna espera.

Unha aperta Elizabeth.
:)

Zaque disse...

Parabéns Beth!!!

Lindo poema em busca de um oasis!

Um aplauso sem igual :)


Zaque